Entrevista: Conheça Steph Honde, o novo vocalista do Sunroad

01/05/2021

Hollywood Monsters é um supergrupo americano, radicado em Los Angeles e capitaneado pelo multi-instrumentista francês Steph Honde, já tendo lançado 3 álbuns desde a sua formação, em 2013. Agora, Honde juntou-se ao baterista goiano Fred Mika para gravar o mais novo álbum do Sunroad, a ser lançado ainda neste ano. Aproveitamos a oportunidade e batemos um papo com o senhor Steph Honde, perpassando a sua brilhante carreira e nos contando um pouco sobre a sua vida e experiência musical.

1-Em primeiro lugar, senhor Honde, quero te agradecer por me conceder esta entrevista. Eu gostaria de perguntar como você iniciou na música? Desde que idade?

Honde: Comecei aprendendo bateria aos 15 anos e depois violão, por volta dos 18/19 anos, porque queria poder compor música acima de tudo. Aos 20 anos comecei a treinar Jazz que durou 5 anos. Só comecei a cantar sério muito mais tarde: O álbum de estreia do Hollywood Monsters (Big Trouble/2015) é o meu álbum de estreia como cantor / guitarrista.

2-Quais seriam as suas influências como musicista e quais os seus ídolos na música?

Honde:Eu tenho muitas influências porque gosto de vários estilos diferentes. Meus primeiros "amores" musicais foram Iron Maiden com o álbum Seventh Son of Seven Sons e Pink Floyd com The Wall. Meus ídolos são músicos como Frank Zappa, Roger Waters, David Gilmour, David Bowie, Brian Eno, para citar alguns. David Coverdale foi o cantor que me fez querer ser um. O álbum Ready'n 'Willing do Whitesnake teve muita influência sobre mim na época.

3-Além de cantar, você é um multi-instrumentista. Pode nos falar um pouco sobre essa experiência?

Honde: Eu toco guitarra acima de tudo, mas também baixo, piano e um pouco de bateria. Pois é essencial saber tocar vários instrumentos para compor corretamente e ter uma visão geral da composição de um álbum...

4-Como foram seus primeiros anos como musicista profissional?

Honde: Eu me profissionalizei rapidamente, meu primeiro contrato foi escrever um balé de dança contemporânea na Normandia. Foi uma experiência incrível, adorei fazer isso, além de mim e meu grupo de lá. Ele então saiu em turnê com a trupe para tocar a música morar com os dançarinos. O programa foi filmado e até mesmo exibido em rede nacional na época. Eu adoraria ter a oportunidade de trabalhar para uma companhia de dança novamente.

5-Vamos falar um pouco sobre a sua carreira musical. Comecemos pela banda Café Bertrand, em que você trabalhou entre 2004 e 2010, alcançando grande reputação em seu país como guitarrista virtuoso, além de tocar em grandes arenas e acompanhar gigantes do rock, como Deep Purple e AC/DC. Pode nos contar um pouco sobre esta época?

Honde: Haveria o suficiente para escrever um filme sobre meus anos com o Café Bertrand! Estávamos todos entre 30 e 40 anos, todos com um ego bastante desenvolvido, além do fato de que nos pegamos tocando, da noite para o dia, nos primeiros dias de bandas como Deep Purple, John Forgerty e AC/DC estava lá. A receita perfeita para o desastre haha! Foi uma experiência incrível porque tivemos a chance de tocar com nossos ídolos e ter nosso álbum mixado por Roger Glover (baixista do Deep Purple) e de tocar nos maiores palcos franceses como o Stade de France, em Paris (80 mil pessoas! ) Mas, os problemas de ego e a discordância musical entre nós tornaram a experiência extremamente difícil, especialmente no final. Sempre comparei essa experiência com o filme Spinal Tap (NR: Isto é Spinal Tap/1984), exceto para nós que foi pra valer.

Veja performance de Honde com o Café Bertrand: https://www.youtube.com/watch?v=qDJuRSpswus

6-Logo após deixar o Café Bertrand, você participou de uma tour pela França, seu país natal, com o ex-Iron Maiden Paul Di’Anno e The Stars. Como foram aqueles dias?

Honde: A experiência com Paul Di'Anno foi incrível! Paul foi um dos meus primeiros ídolos, e tocar para ele foi uma conquista para mim na época. Ficamos todos muito intimidados com o Paul e acabamos no palco com ele, sem nenhum ensaio! Lembro-me de não ter subido no palco durante nosso primeiro show, fiquei muito impressionado com o fato de tocar com meu ídolo. Eu me senti como se estivesse de volta ao meu aniversário de 13 anos!

Veja performance de Honde com Paul Di'Anno: https://www.youtube.com/watch?v=DXpTFhcmXoo

7-Em 2012, você emigrou para a Califórnia. Como foi a sua adaptação a um novo país naquele momento de sua carreira?

Honde: Minha experiência na Califórnia mudou minha vida, tanto profissionalmente quanto pessoalmente. Tive que aprender o idioma, a cultura, nem sempre foi fácil, mas foi a experiência mais intensa da minha vida. Eu conheci muitos dos meus ídolos lá e pude gravar com eles e criar o projeto Hollywood Monsters. A vida é totalmente diferente da vida francesa e tenho muitas saudades deste país, espero voltar a tocar o mais rápido possível.

8-Bem, agora chegamos naquele que talvez tenha sido o maior desafio de sua carreira, a criação do supergrupo Hollywood Monsters, em 2013. Como surgiu a ideia de montar o Hollywood Monsters?

Honde: A ideia do Hollywood Monsters veio a mim quando eu parti pela primeira vez para Los Angeles. Eu escrevi as demos para o que se tornaria o primeiro álbum (Big Trouble). Entrei em contato com Vinny Appice e Tim Bogert, que eram os dois músicos com quem eu queria muito gravar o álbum. O nome do grupo me veio um dia ou um dia eu fui passar a tarde com Steve Morse's Guitar Tech (Deep Purple) em Hollywood. Ele me disse algo que me marcou muito: Ele me disse para prestar atenção nessa cidade porque ela enlouquece as pessoas! Foi nesse dia que tive a ideia do nome Hollywood Monsters. O desejo por fama pode transformar as pessoas em monstros.

9-Como tem sido a receptividade a este trabalho grandioso, que reúne tantos ícones do rock, como convidados, num único projeto?

Honde: O primeiro álbum (Big Trouble) foi um verdadeiro sucesso, foi incrível. Para mim, foi maravilhoso ver meu álbum fazer tanto sucesso. Ainda me lembro de vê-lo pela primeira vez nas caixas de lojas de música em Los Angeles, na seção de novidades. Este álbum mudou totalmente minha vida como músico.

10-Vamos falar um pouco sobre o Brasil. Em seu mais recente álbum com o Hollywood Monsters, Thriving on Chaos (2019), você contou com a participação do baterista brasileiro Fred Mika, da banda de hard rock Sunroad. Como você o conheceu e como surgiu o convite para ele tocar em seu projeto?

Honde: Não me lembro exatamente como nos conhecemos ... Foi através do Facebook ... Já se passaram vários anos. Fred é, como eu, um amante da música e colecionador de CD’s. Ele é a única pessoa que conheço que tem tantos álbuns quanto eu! Fomos primeiro amigos antes de trabalharmos juntos. Nossa colaboração foi óbvia, não foi pensada, foi completamente natural.

Veja performance do Hollywood Monsers: https://www.youtube.com/watch?v=qVd4WnylDO0

11-A banda Sunroad esteve em estúdio preparando seu mais novo álbum, Walking the Hemispheres, a ser lançado em breve e que traz como uma das novidades a sua participação como o novo vocalista. Como surgiu o convite para que você integrasse o Sunroad?

Honde: Fred primeiro me perguntou se eu queria cantar em “Try Me”, um cover do grupo UFO, eu aceitei, depois ele me perguntou se eu não queria escrever a música para o próximo álbum do Sunroad. Claro, eu disse que sim, então gravei as demos, Fred escreveu as letras e então, aos poucos, me vi cantando no álbum. O processo foi natural.

Honde e Fred Mika

12-Tem planos futuros em relação ao Sunroad, relativo a shows, por exemplo?

Honde: Eu gostaria muito de poder ir ao Brasil para poder tocar com o Sunroad, espero que a situação de saúde permita isso o mais rápido possível.

13-E os futuros planos do Steph Honde com relação ao Hollywood Monsters? Podemos esperar apresentações no Brasil?

Honde: Um novo álbum do Hollywood Monsters será lançado no Brasil, pela Musik Records, neste mês de maio, sob o nome de "Evilution". O álbum é uma regravação do álbum Capture The Sun (2016) remixado e remasterizado. O álbum inclui um cover de David Bowie "Heroes" interpretado por 15 músicos muito conhecidos no mundo do Metal. O dinheiro arrecadado com a obra irá para a organização Servindo Amor, no Brasil, que ajuda a alimentar meninos de rua.

14-Uma bela iniciativa, parabéns. Em nome dos brasileiros amantes do rock e do metal, quero te agradecer pela entrevista. Sinta-se à vontade em deixar um recado para seus fãs brasileiros.

Honde: Obrigado por essas perguntas. Espero ver e tocar em seu lindo país o mais rápido possível. Seria uma honra para mim. 

0 Comentários

Adicione um comentário

Aplicativos


 Locutor Ao vivo


Catedral do Rock

24 horas de Rock

Peça Sua Música

Nome:
E-mail:
Seu Pedido:


Top 5

01.

Biographia54

Danos Irreversíveis

02.

5Th Machine

5Th Machine

03.

PAD

Um Sopro

04.

NIGRO

Only For Today

05.

Hunter

Rise Up

Anunciantes