Especial Jimi Hendrix: A história por trás da lenda.

Nascido Johnny Allen Hendrix, em 27 de novembro de 1942, em Seattle, no estado de Washington, nos EUA, também chamado James Marshall, Jimi Hendrix cresceu como um menino tímido e sensível. Logo cedo, assumiu responsabilidades domésticas, como cuidar de Leon, seu irmão mais novo, devido a diversos problemas familiares, como o divórcio de seus pais e a posterior morte de sua mãe, quando ele ainda tinha apenas 16 anos. Sua avó materna, a quem ele era muito afeiçoado, tinha sangue Cherokee, o que incutiu no jovem Hendrix um profundo sentimento de orgulho de seus ancestrais nativos norte-americanos.

                      Jimi Hendrix – 1967

Foi introduzido na música de forma acidental, quando encontrou um ukulele, trabalhando em retirar sucatas junto com seu pai. Apesar do instrumento de quatro cordas ter apenas uma ao ser encontrado, este o encantou. Algum tempo depois, Hendrix comprou uma guitarra acústica usada, por apenas 5 dólares. Sua vocação começava a ser desenhada.

Jimi Hendrix passou por várias bandas de Seattle, ainda na juventude, até ser alistado no exército, servindo na 101ª Divisão Aerotransportadora, baseada em Fort Campbell, Kentucky. Ali, ele serviu como paraquedista. Porém, não durou muito, sendo dispensado depois de quase um ano, devido a uma fratura no tornozelo, durante um salto. Curiosamente, não há registro médico sobre esta dispensa. Relatos dizem que para escapar do serviço militar, Jimi Hendrix alegou estar apaixonado por um de seus colegas, numa visita ao serviço psiquiátrico, em 1962. A mentira tinha como fundamento uma desculpa para sair do exército e se dedicar à música. Segundo Hendrix, o som do ar assobiando no paraquedas serviu de inspiração para o seu som “espacial” na guitarra. Apesar de Jimi Hendrix ter se alistado como voluntário para a guerra do Vietnã, ele nunca esteve em combate. Porém, suas gravações eram ouvidas no front, uma vez que várias delas eram as favoritas dos combatentes.

Naquela época, em meados dos anos 60, Jimi não estava tendo o alcance na música de que gostaria, acabando por levar, até certo ponto uma vida precária, tocando em bandas de apoio à vários músicos, como Curtis Knight, B.B. King e Little Richard. Sua melhor aparição foi com os The Isley Brothers, em 1964, especialmente na música “Testify”.

The Jimi Hendrix Experience; Noel Redding, Jimi Hendrix and Mitch Mitchell.

No ano seguinte, Hendrix assinou seu primeiro contrato, de 3 anos com o empresário Ed Chaplin. Por este contrato, ele recebia 1 dólar + 1% de direitos nas gravações de Curtis Knight, o que lhe criou problemas entre ele e outras companhias de gravação.

           Chas Chandler e Jimi Hendrix

Sua própria banda, a Jimmy James and the Blue Flames, que incluía o guitarrista Randy California (Spirit), foi formada em 1966 e uma residência no “Cafe Wha?”, em Nova York, época em que Jimi Hendrix conheceu e trabalhou com a cantora e guitarrista Ellen McIlwaine, além do guitarrista Jeff Baxter (Steely Dan e The Doobie Brothers), bem como o ícone Frank Zappa, que lhe apresentou o pedal “Wah-wah”, que veio a se tornar um símbolo de Jimi Hendrix.

Nesta ocasião, Hendrix foi então descoberto por Chas Chandler, o baixista da banda britânica The Animals. Desta forma, Hendrix cruzou o atlântico, aportando na Inglaterra. Com um novo contrato de agenciamento e produção, nascia a nova banda The Jimi Hendrix Experience, um power trio formado por ele, o baixista Noel Redding e o baterista Mitch Mitchell. O estrelato que Jimi Hendrix sempre sonhara estava se tornando realidade, e a sua nova empreitada ganhou rapidamente notoriedade, espalhando-se como fogo, à medida que eles se apresentavam nos clubes londrinos. Alguns grandes nomes da história do Rock engrossaram a lista de fãs, entre eles Eric Clapton, Jeff Beck, The Beatles, The Who e um ilustre desconhecido chamado Farrokh Bulsara, natural de Zanzibar, mais tarde conhecido como o grande Freddie Mercury. Hendrix foi então levado ao selo Track Records, que produzia o The Who.

Hendrix e sua famosa guitarra Fender Stratocaster

“Hey Joe”, gravada originalmente em 1962, pelo norte-americano Billy Roberts, ganhou sua versão mais conhecida nas mãos de Jimi Hendrix, o primeiro grande sucesso da The Jimi Hendrix Experience, lançada como single, mais tarde aparecendo na versão americana do álbum de estreia do trio “Are You Experienced”, em 1967. A explosão só estava começando. Ainda na versão americana outras duas faixas alcançariam o Top 10 das paradas, junto com “Hey Joe”, a incendiária “Purple Haze” e a balada “The Wind Cries Mary”.

Assim, nascia uma lenda, aclamada e venerada em todo mundo, a partir de então. O álbum de estreia misturando baladas, sons psicodélicos e Blues só não atingiu o primeiro lugar por causa de um outro álbum clássico, o “Sgt Pepper’s Lonely Heart Club Band”, dos The Beatles. Mesmo assim, “Are You Experienced” é considerado por muitos como o melhor álbum de estreia de todos os tempos e está entre os 5 mais importantes da história do Rock.

                   Botando fogo na guitarra

Uma outra marca registrada de Jimi Hendrix nasceu em 1967, quando em uma apresentação no Astoria Theatre, de Londres, Hendrix pôs fogo em sua guitarra em pleno show para tentar animar o público, que não parecia muito empolgado. Hendrix e sua banda se apresentaram no México, nos EUA e em cada apresentação, o repertório de bizarrices de Hendrix ia aumentando. Sua imagem de “selvagem” foi aumentando a sua notoriedade. As gravações foram sendo realizadas e com elas vieram diversos problemas, sobretudo com o abuso de álcool e drogas por parte de Hendrix. Ele chegou a ser preso, em Estocolmo, na Suécia, por destruir um quarto de hotel.

Para as gravações do terceiro álbum, frustrado pelas limitações das gravações comerciais, Jimi Hendrix resolveu voltar para Nova York e lá montou seu próprio estúdio de gravação, o lendário Electric Lady, cuja construção só foi terminada em 1970. Diversos problemas foram sendo acumulados, acabando por ser determinante a demissão de profissionais ligados a Hendrix, como o próprio produtor Chas Chandler. Hendrix estava cada vez mais errático e se tornando ainda mais perfeccionista, o que gerava ainda mais problemas. O trio The Jimi Hendrix Experience acabou por se dissolver, em 1969. No mesmo ano, Hendrix formou uma nova banda, a Gypsy Suns and Rainbows e com ela, ele se apresentou no famoso Festival de Woodstock. O novo grupo era formado por Hendrix, na guitarra, Larry Lee, na guitarra base, Billy Cox, no baixo, Mitch Mitchell, na bateria, além de Jerry Velez e Juma Sultan, na percussão. Apesar de todos os problemas envolvidos nesta apresentação, sem ensaios e desigual, tornou-se um símbolo da inquietude daquela geração. Hendrix disse que a performance de sua banda naquele show foi mágica. Mesmo assim, a banda se desfez logo depois, com Hendrix formando a banda Band of Gypsys, com seus antigos amigos do Exército Billy Cox, no baixo e Buddy Miles, na bateria. Os shows realizados com essa formação foram gravados e trazem uma das maiores performances de Jimi Hendrix ao vivo, numa explosão de 12 minutos da épica “Machine Gun”. Ao longo do fatídico ano de 1970, Jimi Hendrix esteve envolvido em vários projetos e apresentações em festivais.

Um dos dias mais negros da história do Rock foi, sem dúvida o dia 18 de setembro de 1970. Nas primeiras horas daquele dia, Jimi Hendrix morreu, em circunstâncias que nunca foram completamente explicadas. Na noite anterior, Hendrix e sua namorada Monika Dannemann, haviam ido a uma festa e foram depois para o Hotel Samarkand, em Nothing Hill, Londres. Ela alegou que Hendrix havia consumido, sem o seu conhecimento, vários comprimidos de seu remédio para dormir e declarou que ele ainda estava vivo quando foi socorrido. Peritos declararam que não havia ninguém além dele no local e que já estava morto quando chegaram para socorre-lo. Havia vestígios de vinho no vômito, que segundo os peritos provocou sua morte por asfixia. Segundo consta, a morte de Jimi Hendrix, sendo afogado literalmente em muita quantidade de vinho, foi tramada por Mike Jeffrey, seu então empresário, que tinha uma apólice de seguro, no valor de US$2 milhões e confessou, no ano seguinte, ser o responsável pela morte do músico, aos 27 anos.

Uma das últimas imagens de Jimi Hendrix, setembro de 1970

Sem dúvidas, o canhoto Jimi Hendrix é um eterno ícone do Rock. Em praticamente todas as listas publicadas, de melhores guitarristas da história, lá estará o nome dele, em primeiro lugar, um dos mais influentes músicos de sua geração. Hendrix conquistou diversos dos mais prestigiosos prêmios concedidos a artistas de Rock, tanto em vida, como postumamente. Foi induzido, em 1992, no Rock and Roll Hall of Fame. Em 1994, Hendrix recebeu uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood, localizada no Hollywood Boulevard, 6627.

Uma infinidade de artistas foi influenciada por ele, como Prince, Sly Stone, John Frusciante, Yngwie Malmsteen, Stevie Ray Vaughan, Kirk Hammett, Ace Frehley e Joe Satriani, apenas para citar alguns.

Não há palavras exatas para definir Jimi Hendrix, cujo cinquentenário de sua morte se faz presente no dia 18 deste mês, mas sem dúvida, ele era um gênio!

Jimi Hendrix