Biografia: Eddie Van Halen – Nasce uma lenda

Edward Lodewijk Van Halen nasceu em Amsterdã, Holanda, em 26 de janeiro de 1955. Eddie era filho de Jan e Eugenia Van Halen, sendo Alexander, seu irmão mais velho. O pai de Eddie era clarinetista, saxofonista e pianista. Sua mãe era indonésia, de Rangkasbitung, na ilha de Java. A música sempre esteve presente na vida de Eddie. Seu segundo nome é uma homenagem ao grande compositor alemão Ludwig Van Beethoven. A grafia no nome de Eddie é o equivalente de Ludwig, em holandês. Curiosamente, a mesma tática foi usada por Eddie, ao batizar seu filho com o nome do compositor austríaco Wolfgang Amadeus Mozart.

Jan e Eugenia Van Halen

Aos 7 anos de idade, Eddie mudou-se com sua família para os EUA, estabelecendo-se em Pasadena, Califórnia. Porém, ainda antes desta mudança, tanto Eddie, quanto seu irmão Alex, começaram a estudar piano. Seu aprendizado continuou após a mudança. Mudando-se novamente, agora para San Pedro, tomaram aulas com um professor idoso chamado Stanley “Stasys” Kalvaitis. Um fato curioso sobre isso é que eles odiavam aquilo e foram obrigados por sua mãe a continuarem seus estudos de piano clássico, para evitar um possível castigo.

O próprio Eddie revelou mais tarde que nunca foi capaz de ler música. Ele aprendeu a tocar assistindo e ouvindo. Quando fazia recitais, improvisava. Por volta dos 10 anos de idade, já havia conquistado prêmios por performances musicais, sobretudo a competição anual de piano do Long Beach City College, de onde os juízes diziam que ele interpretava a peça clássica de uma forma interessante, embora pra ele estivesse tocando corretamente.

Alex e Eddie Van Halen

Eddie não estava satisfeito com os teclados, pois pra ele não se mostrava ser um desafio ou algo tão interessante de se fazer. Enquanto Alex, seu irmão mais velho começava a aprender a tocar guitarra, Eddie migrou para a bateria, praticando por horas, todos os dias. Esse fato é muito relevante, porque mais tarde os irmãos inverteram a prática de seus instrumentos. Alex, que tinha mais habilidade que Eddie na bateria, tocou um solo de bateria da música “Wipe out”, da banda californiana The Surfaris. Quando Eddie viu a performance de seu irmão, tomou a decisão de mudar de instrumento e começou a aprender a tocar guitarra, mantendo-a amarrada ao corpo e praticando enquanto passeava ou ficava trancado por horas em seu quarto.

Eugenia Van Halen e seu filho Eddie com a sua primeira guitarra

A primeira banda formada por Eddie e seu irmão Alex foi a The Broken Combs, com mais 3 garotos, ainda na adolescência. O grupo tocava na Hamilton Elementary School, em Pasadena, na hora do almoço. Na época, Eddie cursava a quarta série. Esse acontecimento é tão importante, que mais tarde Eddie chegou a dizer que foi quando sentiu pela primeira vez que queria ser músico profissional. Apesar de ter em Eric Clapton a sua maior influência, foi em Jimmy Page que Eddie encontrou seu jeito de tocar, de forma imprudente e largada.

Em 1972, Eddie, Alex e o baixista Mark Stone juntaram forças para criar a banda Mammoth. Outros nomes também foram usados. Enquanto Alex tocava bateria e Stone tocava baixo, Eddie acumulava o posto de guitarrista e vocalista. Nesta ocasião, um dos mais conhecidos símbolos do Rock ganhava forma. Eddie construiu a sua própria guitarra, com o corpo de uma Fender Stratocaster 60 e braço em madeira de ácer, que foi pintada por ele de branco, com listas pretas. Por existir muitas outras guitarras parecidas, Eddie decide mudar a sua pintura, passando para o vermelho, com listras pretas e brancas. Usando um captador de uma Gibson PAF Flying V, retirado de uma Gibson ES-335, e ponte Floyd Rose, Eddie criou a famosa guitarra Frankenstrat. A réplica exata desta guitarra, criada pela Fender, foi chamada por Eddie de “My Baby”.

Para economizar dinheiro, o grupo alugava o sistema de som com um certo amigo, chamado David Lee Roth. Como Eddie não desejava acumular funções, Dave foi chamado para assumir o posto de vocalista, assim Eddie poderia se dedicar ao máximo em sua guitarra. Dois anos depois de sua formação, decidiram trocar seu baixista. Recrutaram o baixista e vocalista da banda Snake, Michael Anthony. Após uma jam que durou a noite inteira, Mike foi oficializado. No início, tocavam apenas covers e rapidamente se tornaram conhecidos no circuito de bares de Los Angeles. A questão no nome ainda era um problema e Dave sugeriu que mudassem para Van Halen, usando o sobrenome dos irmãos, como era o caso do Santana. Dois anos depois, levado pelo guitarrista do KISS, Paul Stanley, onde o Van Halen tocava num bar, Gene Simmons, baixista do KISS, decidiu fazer uma demo com a banda e levá-la às gravadoras. Esta continha uma parte de “Runnin’ with the Devil”, que mais tarde faria parte do álbum de estreia do Van Halen. Porém, não deu certo e nenhuma gravadora se interessou pelo material. Na verdade, David Lee Roth ainda era questionado no posto de vocalista e só ganhou a aprovação definitiva por sua intensidade e habilidades cômicas. O estreante álbum homônimo “Van Halen” foi então lançado em 10 de fevereiro de 1978. Desde então, o Van Halen tornou-se uma das maiores influências do Rock, especialmente a figura do guitarrista Eddie Van Halen, denominado por muitos como um dos maiores da história, sendo reverenciado por diversos ícones do Rock.

Van Halen: David Lee Roth, Alex Van Halen, Eddie Van Halen e Michael Anthony

Eddie Van Halen criou um estilo único, emblemático e eterno, cheio de malabarismos e sentimentos. Ao longo de sua carreira, recebeu diversas honrarias, sendo incluído numa seleta lista, entre os 10 maiores guitarristas de todos os tempos. Quando foi convidado pelo produtor Quince Jones para fazer uma participação no álbum “Thriller” de Michael Jackson, o rei do Pop, lançado em 1982, achou que fosse trote, desligando o telefone na cara de Quince Jones. Após certificar-se de que o convite era real, este foi aceito e Eddie criou um dos mais célebres riffs da história, presente na faixa “Beat it”. Chegou a cogitar entrar para o KISS, quando da iminente saída do guitarrista solo Ace Frehley, mas foi convencido pelo amigo Gene Simmons a detrair, uma vez que Eddie já era um gigante e não precisava do KISS, uma vez que a banda ainda usava as tradicionais maquiagens e as verdadeiras identidades de seus membros eram mantidas no anonimato.

 

Eddie Van Halen e Michael Jackson

Em 12 de março de 2007, o Van Halen foi introduzido no Rock’n’Roll Hall of Fame, já com o filho de Eddie, Wolfgang Van Halen, como baixista da banda. Foi com esta formação, que incluía Dave, Eddie, Wolfgang e Alex, que o Van Halen lançou seu 12º e último álbum de inéditas “A Different Kind of Truth”, em 07 de fevereiro de 2012.

Última formação do Van Halen: Wolfgang Van Halen, Alex Van Halen, Eddie Van Halen e David Lee Roth

No final dos anos 90, Eddie foi diagnosticado com um câncer oral. Uma cirurgia para resolver o problema fez com que ele perdesse um terço de sua língua, porém, foi declarado curado. Mas, infelizmente, no ano passado, voltou a ser internado porque o câncer havia retornado. Após uma longa batalha pela vida, foi vencido e nos deixou no último dia 6 de outubro de 2020, aos 65 anos de idade. Não há palavras para descrever o tamanho da tristeza que tomou conta do mundo com o anúncio da morte de Eddie Van Halen, deixando-nos perplexos e aturdidos. Porém, um imenso sentimento de gratidão tomou conta de todos, por tudo o que foi feito por este homem inigualavelmente talentoso. Apesar da dor que todos sentimos por sua perda, temos a certeza, que estamos diante do nascimento de uma das maiores lendas da história do Rock, que será lembrado por toda a eternidade.

Eddie Van Halen com a sua famosa guitarra Fender Frankenstrat