Sixty-Nine Crash: novo álbum carregado de emoção e sentimentalismo.

Sixty-Nine Crash: novo álbum carregado de emoção e sentimentalismo.

Dizer que o Hard Rock está vivo e dando frutos, isso sabemos muito bem. E a banda carioca Sixty-Nine Crash, com o lançamento deste segundo álbum, “Postcards from the Black Sun”, sucessor de “Louder”, corrobora isso. Aliás, Jay Roxx (vocais), Davis Ramay (guitarras) e Andy Carvalho (baixo) mostram com esse CD, que fazer Hard N’Heavy com qualidade é sua marca registrada, aqui com muita emoção e sentimentalismo, no melhor sentido. A razão disso é que as composições foram feitas a partir de um período mais triste na vida do vocalista, quando este decidiu que deveria reverter a situação, tornando-se uma pessoa melhor, o que se reflete em cada faixa.

Na alquimia, Black Sun se refere ao processo de queima, que leva à purificação, resultando na parte preciosa da matéria. Nesse trabalho, Jay Roxx escreve suas memórias sobre um período passado que o fizeram estar numa condição melhor hoje.

O play abre com a faixa “We don’t need Heroes”, que ganhou um lyric video quando foi lançada, e esta inicia chutando a porta, mostrando ao que veio. Um dos destaques é o baixo de Andy Carvalho. Vocais e backing perfeitos, trazendo um coro marcante, que nos faz cantarolar, e ainda nos brinda com um belo solo de guitarra, de Davis Ramay.

“Warfield” vem em seguida mostrando um Hard carregado no sentimento, melódico, com destaque para os vocais, tanto solos de Jay Roxx, quanto dos backings de Andy e Davis, que acompanham quase toda a faixa.

A terceira faixa, “Bleeding Heart”, que acaba de ganhar um vídeo clipe oficial, traz umas partes quase faladas, nos levando a um belo Hard N’Heavy pesado e rápido. O refrão é carregado de emoção e sentimento. Um inspiradíssimo solo de guitarra, curto, mas na medida certa colabora para tornar essa faixa uma das mais bonitas do play, com belos arranjos do produtor Celo Oliveira e dos músicos Jay Roxx e Andy Carvalho. A faixa se encerra com uma linda linha de teclados, que aliás, quase que emenda na faixa seguinte, por assim dizer, uma vez que “Heavens Cry” abre com uma linda introdução, com sons de chuva e uma vocalização emocional de Jay Roxx e belos efeitos sonoros, uma quase balada cheia de inspiração, que cresce aos poucos e nos enche de emoção e sentimentalismo. O som da bateria ajuda a carregar o espírito emocional da canção. Outra linda faixa.

“Give me a Sign” é uma faixa pra cima, bem mais pesada e intensa, pra quebrar o ritmo das anteriores. Grande execução do baixo, mais uma vez, que dá a ela peso na medida certa. Riffs bem cadenciados, ótimo andamento, elevando a atmosfera.

A sexta faixa, “Not Afraid to Die” começa com ares cinematográficos e épicos, com uma boa animação no andamento, novamente com ótimas vocalizações e backings. Ótima linha de bateria, belo refrão e solo de guitarra. Uma faixa rápida e agitada.

“Burning Bridges” vem a seguir, uma parceria entre Jay e Davis. Outra faixa bem animada, com destaque para as vocalizações. Pode ser uma boa opção para ser um próximo single. Refrão excelente, que gruda na cabeça. Pra contrabalançar faixas rápidas e mais lentas, “Crack me Open” chega como uma faixa mais introspectiva, menos rápida, porém pesada, quase como uma apelação emocional. O baixo se destaca bem, com um acompanhamento guitarrístico perfeito.

A bolachinha vai chegando ao final, trazendo a balada “Always Love You”, muito bem acompanhada por uma bela linha de teclados, pesada e emocional. Jay Roxx coloca seu coração em sua interpretação, dando um show nos vocais. O solo de guitarra arrepia. Belo arranjo. Bela canção.

A última faixa, “All Lies are True” esbanja energia, pra mostrar que, apesar de tudo, a vida continua. Reúne todos os elementos encontrados no play, com ótima vocalização,uma linha de baixo perfeita e solo grandioso. Uma faixa executada de forma mais alegre, pra cima, deixando no ouvinte uma sensação gostosa. Um ótimo encerramento para essa obra-prima do Hard N’Heavy.

Muito embora o Hard Rock normalmente seja mais conhecido por suas letras despretensiosas e fanfarronas, a Sixty-Nine Crash prova com este trabalho que o estilo pode sim tratar de coisas mais sérias e profundas, sem perder sua essência musical.

Todas as composições são de autoria de Jay Roxx, exceto “Burning Bridges”, de autoria de Jay Roxx e Davis Ramay.

Ficou curioso em ouvir o novo álbum? O formato digital já se encontra disponível em todas as principais plataformas de streaming, e você poderá adquirir também a cópia física, que será lançada ainda neste mês de agosto. O e-mail para informações é “69crashbr@gmail.com” e também na página da banda no Facebook “www.fb.com/69crash”.

Sixty-Nine Crash:
Jay Roxx: Vocais
Davis Ramay: Guitarras
Andy Carvalho: Baixo

Backing Vocals: Andy Carvalho e Davis Ramay

-Produção: Celo Oliveira
-Arranjos: Celo Oliveira, Jay Roxx e Andy Carvalho

“POSTCARDS FROM THE BLACK SUN”:
1-We Don’t Need Heroes
2-Warfield
3-Bleeding Heart
4-Heavens Cry
5-Give me a Sign
6-Not Afraid to Die
7-Burning Bridges
8-Crack me Open
9-Always Love You
10-All Lies are True

Jennifer Kelly

Sou escritora, poetisa, radialista, e produtora de conteúdo. Durante as minhas 5 décadas de vida, respiro Rock e Metal 24hrs por dia. Apesar de ter minhas bandas e artistas preferidos, não me prendo aos velhos e consagrados nomes. Ouço muita coisa nova, o tempo todo. Essa é a minha missão, abrir as portas do submundo, tomando por legado escrever sobre bandas independentes e projetos iniciantes. Penso que se não abrirmos nossos ouvidos a quem está chegando agora, o Rock morre junto com os artistas que o inventaram e o consagraram. O Rock não pode morrer, e só dando oportunidade ao que é novo é possível mantê-lo vivo!!!!!

Deixe uma resposta

Fechar Menu